Tuesday, 7 November 2017

Sobre um fotógrafo holandês



Gert Jan Hermus por João Menéres.

Site do fotógrafo: https://gertjanhermus.nl/

Fotografia de Rua por Gert Jan Hermus




The girl is back in town


O sol vai alto e morno no céu, nestas manhãs mais luminosas que se desvanecem em tardes cinzentas e frias, e que abrigo já, em meias opacas e nos casacos compridos favoritos de sempre. O corpo tem andado sonolento, mole, naquela fase em que me sinto como um urso a querer hibernação. Às vezes, as pálpebras quase fecham sobre os livros de holandês (voltei aos estudos, desta vez na Volksuniversiteit). Arrebito mais, quando chega a minha vez de ler em voz alta, no Clube de Leitura, pois gosto de dar vida às personagens. Mas nada de preocupações: o corpo está bem e recomenda-se. Isto é mesmo só do tempo. No Fitness, aumentámos as intensidades e o número de máquinas. E o Yoga continua a deixar-me nas nuvens. Desde o dia 19 de Outubro, que não tenho uma única dor ou moinha. A médica, no passado dia 2, ficou satisfeitíssima com os resultados do exame e até me mostrou os gráficos. Agora era aproveitar, pois já não iria necessitar de nova cirurgia, como receávamos. Ao ver o seu entusiasmo, disse--lhe que tinha ido dançar temas dos anos 70 e 80, ao meu café preferido da cidade, e que tinha corrido tudo bem (zero dores na zona onde o dreno esteve localizado tantas longas semanas). E acrescentei que tinha andado a comprar saias. Porque já as posso vestir. E um par de sapatos para um casamento a que vamos em breve. Entretanto, dias depois da consulta, um convite para almoçar na estação central de Utreque, agora totalmente remodelada e com uma loja da marca portuguesa Parfois. Bem giro, o novo centro comercial. Ainda hei-de voltar esta semana com uma amiga, com quem é um prazer estar e me rio muito. E acolhe os meus choros, quando necessário também. Ando numa fase de libertação do que vivi ao longo dos últimos 12 meses e de vez em quando choro, ao lembrar-me de algum momento em particular. No worries, pois quando assim acontece, sinto-me melhor, mais aliviada. O corpo quer agora um espacinho e um tempo para se libertar das tensões acumuladas, é só. Mas cedo recupera e pede boa disposição. Há dias, até bebi umas quantas caipirinhas e margaritas. Foi no meu café preferido, no espaço de uma semana, em duas ocasiões distintas. É isso, meus amigos: The girl is back in town. Apesar da vontade de hibernação. ;-)


Uma das músicas que mais prazer me deu dançar...



Votos de boa semana!

Monday, 16 October 2017

Nederlanders in Parijs



Nederlanders in Parijs no Museu Van Gogh, em Amesterdão.


Fomos ver esta exposição, na sua data de abertura, na passada sexta-feira, à noite, dia 13.

Uma noite de sorte, pois gostámos muito da exposição, que aconselhamos vivamente a quem tenha oportunidade de visitá-la (grátis com o cartão dos museus).

Está patente ao público até dia 7 de Janeiro de 2018, num renovado Museu Van Gogh (ainda não tinhamos lá estado após a remodelação).

Nesta exposição, podemos apreciar obras de Van Spaendonck (conhecido pelas suas naturezas-mortas), Jongkind (conhecido pelas suas pinturas marítimas e um dos percursores do Impressionismo), Van Gogh (pintor pós-impressionista), Van Dongen (conhecido como um dos representantes do Fauvismo) e Mondriaan (um pioneiro em Arte Abstracta), entre outros pintores neerlandeses, de diferentes épocas e movimentos artísticos, que viveram em Paris, durante largos anos, entre o final do século XVIII e o início do século XX.

Clicando aqui, podem visualizer alguns dos quadros desta exposição.

Geniet ervan! Enjoy!



PS: A complementar esta exposição, uma outra que queremos visitar, desta vez em Haia, intitulada The Dutch in Barbizon, que irá abrir ao público, no próximo dia 27, no Panorama Mesdag (que fica próximo da nossa embaixada).

NB:O jantar, no museu, foi acompanhado de música francesa. Muito agradável!




Sunday, 8 October 2017

Seja


Vá lá saber-se porquê, esta música não me sai da cabeça...
Talvez pela serenidade de espírito com que vim de Portugal, talvez desta moleza domingueira que me colhe, talvez porque tive a sorte de ouvi-la muitas vezes quando era novinha, talvez porque o meu pai viveu no Brasil uma década, talvez porque nunca fui lá e quero, talvez porque me sinta feliz e quero mais é que todos estejam bem...
Seja.

Thursday, 5 October 2017

874 anos! Parabéns, Portugal!


Há dias, estivemos em Portugal. Na nossa primeira noite lisboeta, logo após o jantar, fomos passear ao Chiado. No Largo do Teatro Nacional de São Carlos, tocava a Orquestra Ligeira do Exército. Boa surpresa! Sobretudo, porque um cantor que gostei muito, mas não fixei o nome, interpretou duas canções do Paulo de Carvalho que gosto imenso.

Servem estes apontamentos musicais para celebrar os 874 anos de Portugal. E nada melhor que através das Artes, onde nos destacamos tão bem, como a Música e a Poesia.

Bom, eu adoro a voz do Paulo de Carvalho e estas canções. Por isso, escusado será dizer que "cantei" estes temas a meu belo prazer, com um sorriso de orelha a orelha. Gostei mesmo muito do início destas nossas mini-férias em Portugal. Gosto imenso dos nossos músicos e dos nossos poetas.

PS: Uma das razões que me levou a optar por ir tomar os pequenos-almoços à Padaria Portuguesa foi exactamente essa, a Música: ele era "Os Putos" do Carlos do Carmo, ele era Jorge Palma, ele era António Variações, and so on...E eu no céu, logo pela manhã!

Esta, para mim, é uma delícia e uma ternura...




E esta, por ter sido um dos sinais para a Revolução de Abril, é, também, por isso, muito especial.
(Já disse que gosto imenso desta música, e da letra (do José Niza) e que amo a voz do Paulo de Carvalho? )






Um dia feliz para todos, pleno de vibrações positivas!




Wednesday, 20 September 2017

Surprise! Surprise!!



Hoje foi a inauguração das lojas de departamento Hudson's Bay em Almere ( no resto dos Países Baixos também). E não é que, inesperadamente, dou de caras com esta marca portuguesa? Fiquei tão contente!!

Monday, 18 September 2017

Katwijk aan Zee


Deste Verão de 2017, foram só 3 dias de Katwijk aan Zee...

Ficam as dunas suaves e o mar azul no olhar, na memória, na pele e no sorriso.

As fotografias foram tiradas por telemóvel.